|

 Não se sabe quais serão as consequências, se democracia ou outro tipo de opressão após as rebeliões populares no mundo árabe. Mas uma coisa é certa, todos os ditadores vão cair e o fim deles seguirá na medida como lidaram com o povo. Isto deveria abrir os olhos das autoridades corruptas aqui no Brasil, já que a consciência deles está lacrada. O chamado “efeito dominó” pode vir para o lado de cá do Atlântico, fazer o povo sair às ruas e clamar pela renúncia dos ditadores camuflados em políticos, que aumentam de forma absurda os seus salários, promulgam e executam leis em benefício próprio, sem obedecer aos compromissos com o povo.
Há três mil anos os judeus, influenciados pelos vizinhos, se rebelaram para, incrivelmente, exigir uma ditadura. “Queremos um rei como acontece em outros países”, insistiram. Havia insatisfação com os atuais governantes, “interessados somente em ganhar dinheiro, aceitavam dinheiro por fora e não decidiam os casos com justiça” (1 Samuel 8.3). Samuel explicou o que aconteceria se o pedido fosse atendido. Suas riquezas, filhos, terras, tudo seria usado para atender aos caprichos do rei. Foi o que aconteceu. O primeiro monarca, Saul, tornou-se um legítimo “Kadafi”. No quarto reinado houve guerra civil e o reino ficou dividido entre Norte e Sul. A maioria dos reis seguiu o caminho da corrupção e injustiça, e teve um fim trágico.
A Bíblia não defende nenhuma forma de governo, se republicana, monárquica ou outro sistema. Mas uma coisa ela diz: “Quando as autoridades cumprem os seus deveres, elas estão a serviço de Deus” (Romanos 13.6). E quais são estes deveres? Está lá no começo: “Sejam honestos; sejam sempre corretos para que vivam” (Deuteronômio 16.20). Infelizmente, qualquer governo em qualquer regime sempre cometerá injustiças, porque é humano, é pecador. Por isto o contraste quando a referência é o reinado de Cristo: “As bases do seu governo serão a justiça e o direito desde o começo e para sempre” (Isaías 9.7). Em todo o caso, que os “Kadafis” da vida fiquem atentos, pois a hora deles sempre chega.
Marcos Schmidt
pastor luterano

Compartilhando FELICIDADES

|

 Comunidade São Marcos, Paróquia do Triunfo, Pelotas/RS - 100 anos proclamando o Evangelho de Cristo.
 Tendo o privilégio de anunciar a mensagem no culto comemorativo dos 100 anos de vida da comunidade.
 O povo presente, alegria e muito louvor.
 Na Comunidade Concórdia, no sábado a noite, tivemos o privilégio de ouvir a mensagem do pastor Jonhanes Gedrat.
 Culto especial, 50º aniversário da Comunidade Cristo, Passo do Pilão/RS. Grupo da comunidade entoando.
 As crianças homenageando os 50 anos da comunidade.

 A Comunidade teve o prazer e o privilégio de ouvir a mensagem do pastor Jonhanes Gedrat, pastor que fundou esta comunidade a 50 anos atrás.
 O presidente Cleyton Kopp entregando uma pequena homenagem ao pastor Jonhanes.
 Pastor Jonhanes recebendo a ata de fundação desta comunidade, escrita por ele mesmo, quanta lembrança.
 Pastores presentes no culto: Aroldo, André, Darcy, Jonhanes e Paulo.
 Povo presente no culto. A igreja estava cheia e ficamos agradecidos a Deus por animarem os irmãos para comparecerem ao culto.
 Servas trabalhando para prepararem o café especial que foi oferecido após o culto.
 As mesas postas, tudo pronto.
Enquanto isso o povo estava ansioso aguardando e aproveitando para conversar muuuito.
Todas as atividades foram especiais, especiais porque Deus pode ser reverenciado, especiais porque vimos o quanto Deus está presente na nossa vida e na vida das comunidades. Oramos como Salomão: "Ó Senhor, olhe dia e noite para o templo que escolheste para ser adorado". Vimos que durante todos os dias, meses  e anos, o Senhor esteve sempre olhando para nós e nossa igreja, pois muitas bênçãos podemos enumerar e compartilhar, sempre com o objetivo de acolher e integrar cada vez mais pessoas na mesma certeza. Onde o Senhor mantem seus olhos, haverá inúmeras bênçãos.

Auto-ajuda ou Deus ajuda?

|

Os livros mais famosos são os de auto-ajuda. Mas os que menos ajudam, ou ajudam até ali. “Acredite em suas capacidades, você pode, tudo depende da sua força de vontade”. Isto seria verdade se os desafios fossem apenas a superação de problemas físicos, emocionais, materiais. Sabe-se que a pessoa otimista enfrenta as batalhas da vida com maior sucesso. Exemplos estão aí na biografia de muita gente. Mas a vida humana não se resume só em músculos, cérebro, hormônios, coração.
Existe a crença de que a vida é obra do acaso. Que tudo apareceu através de uma explosão cósmica que cabia na palma da mão, e que, em frações de segundos expandiu-se, surgindo tempo, matéria e o Universo com bilhões de galáxias, cada galáxia com bilhões de estrelas. E depois veio a evolução, a vida no planeta Terra e o próprio ser humano. Segundo a ciência, tudo isto um dia vai voltar para o que era antes, isto é, para o nada. Surge, então, uma pergunta que o cachorro nem o macaco fazem: Qual o sentido da minha vida neste infinito e finito Universo?
No livro Uma Vida com Propósitos, Rick Warren lembra que “se concentrarmo-nos em nós mesmos, jamais desvendará o propósito de nossa vida”. Confirma isto por aquilo que disse
um famoso cientista ateu: “A menos que se admita a existência de Deus, a questão que se refere ao propósito para a vida não tem sentido”. Warren sugere que há propósitos de vida dirigidos por sentimentos de culpa, ou pelo rancor e pela raiva, pelo medo, pelo materialismo, ou pela necessidade de aprovação. Ressalva, no entanto, que fomos feitos por Deus e para Deus – e, enquanto não compreendermos isso, a vida jamais terá sentido.
A experiência no aconselhamento tem me mostrado que as pessoas sossegadas, felizes e tranquilas são aquelas que vivem o real sentido da sua existência. Aquelas que receberam ajuda pelo Livro dos livros, onde diz que Deus criou tudo o que se vê e o que não se vê, e que através de Cristo resolveu trazer de volta para si todo o Universo (Colossenses 1.20). Ter esta fé faz a diferença num mundo cada vez mais sem sentido.
Marcos Schmidt
pastor luterano

Batismos

|

 





Nos dois cultos passados, dias 06 e 12 de fevereiro, aconteceram mais tres batismos. Foi uma enorme alegria para a nossa comunidade, os pais e os padrinhos podermos dedicar mais estas vidas ao Senhor. Que possam crescer na graça e no conhecimento da Palavra do Senhor. Deus esteja cntinuamente na vidas destas crianças, seus pais e padrinhos para que possam cumprar as promessas feitas dianto do altar do Senhor. Deus abençoe a todos.

Renunciar

|

É difícil abrir mão do que temos. É complicado renunciar uma postura, uma posição, um hábito.
O presidente da Tunísia (Ben Ali) e o presidente do Egito (Hosni Mubarack) foram convidados a “renunciar” o cargo. Milhares de pessoas gritaram, se organizaram, clamaram pela renúncia.
No entanto, o orgulho também tem um grito potente. É histórica a dificuldade humana de abrir mão do poder. Todos nós: reis ou súditos, patrões ou empregados, pais ou filhos temos dificuldade de renunciar, de admitir erros.
Arrependimento é assunto central na Palavra de Deus. Arrependimento é admitir o erro, renunciar o pecado.
Jesus nos diz assim: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me.” (Marcos 8.34). Esse texto é desafiador! Ele nos convida a renunciar os nossos próprios interesses.
Na maior parte de nossas leituras o ato de render-se é interpretado como fraqueza, pois nos rendemos diante de algo mais forte. Porém, na Bíblia, a verdadeira força está no ato de render-se diante de Deus. Isso acontece quando nos esvaziamos de nós mesmos e nos enchemos com a graça, nos enchemos com o Espírito de Deus. Somente então somos capazes de perdoar, de renunciar mágoas, de recomeçar.
Deus nos diz: “A minha graça é tudo o que você precisa, pois o meu poder é mais forte quando estás fraco” (2 Coríntios 12.9).
No poder de Deus encontramos a sabedoria para saber quando renunciar e quando não renunciar. Pois, nesse mundo cheio de alegrias passageiras, onde tudo envelhece, enferruja, apodrece, há também valores eternos dos quais não podemos abrir mão – entre eles está a nossa fé em Jesus. Ele nos elegeu ao cargo da vida eterna e nos diz: “Se fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida” (Apocalipse 2.10).
Parece que o bom senso e a sabedoria estão entre os milhares que pedem o afastamento dos líderes da Tunísia e do Egito. Mas o mesmo bom senso se une à voz sábia dos apóstolos e profetas solicitando que renunciemos nossos pecados, sem jamais renunciar ao Senhor Jesus e a sua obra; afinal, mesmo sendo difícil, ele renunciou a sua vida, mas não renunciou o caminho da cruz.

Pastor Ismar Pinz

Batismo na Concórdia

|





No culto do dia 29 de janeiro de 2011 aconteceu o batismo de Isabel Rickes Gonçalves. Neste dia a pequena Isabel foi inscrita e registrada no livro da vida. Deus a abençoe ricamente, guie seus passos e ajude os pais e padrinhos a conduzi-la sempre no caminho do Senhor. "Ensine a criança no Caminho em que deve andar e ainda que for velha não se desviará dele", Deus diz em Pv 22.6.

 

©2009 PARÓQUIA CONCÓRDIA | Template Blue by TNB