Alguns Fatos1

|

 Os Leigos da Concórdia fizeram uma singela homenagem ao leigo Reinaldo Radmann pela dedicação e participação sempre frequente durante o ano de 2011, pois mesmo em idade avançada sempre esteve e está presente em todos os eventos, participando ativamente. Ele é um exemplo de amor e dedicação ao Senhor. Parabéns!!!
 Após a reunião dos leigos aconteceu uma janta especial, evento que é promovido em cada última sexta - feira do mês.

No domingo a noite, dia 25/03, tivemos na nossa reunião dos jovens (Jucór) a visita da diretoria do Dijessul. Foi uma reunião maravilhosa e demonstrou também que a juventude está empenhada em servir ao Senhor através dos dos e talentos que Deus lhes dá. Tudo é para servir ao Senhor Jesus e para nossa alegria. Obrigado pela presença de todos!

Festival Missionário!

|

 Dia 18, domingo, o Dijessul - (Jovens do Distrito Sul I) organizaram o Festival Missionário - Vida em Arte. Foi um domingo abençoado: culto, almoço, distribuição de folhetos, livretos, apresentação de teatro, danças litúrgicas, grupos musicais, circo, atividade para crianças. Todos foram envolvidos de uma forma ou outra. O objetivo principal é sempre apontar para Cristo - Salvador. Os frutos deste trabalho serão colhidos pela Comunidade Trindade do bairro Bom Jesus de Pelotas/RS. Deus multiplicará cada testemunho, cada mensagem compartilhada, cada coração atingido. Aos jovens, parabéns pela organização, empenho e trabalho.





Grupo da Jucór - Cel Concórdia - Sítio Floresta.





Religião que enriquece

|

A Rede Record de televisão apresentou em um programa, muitas acusações contra o chamado bispo Valdemiro Santiago, líder da igreja Mundial do Poder de Deus. As acusações são de enriquecimento ilícito, usando o dinheiro dos fiéis.
A verdade é que essa acusação também já foi feita contra o próprio Edir Macedo, líder maior da Igreja Universal do Reino de Deus, donos da Record.
Preciso ainda dizer que a justiça também anda analisando denúncias contra o Vaticano (Igreja Católica). Os antigos administradores da Universidade Luterana do Brasil também foram acusados de enriquecimento ilícito.
Todos devem ser julgados e punidos. Se por aqui continuar reinando a impunidade, aguardemos o dia da justiça divina, onde tudo o que está encoberto será revelado! Jesus disse: Quando aquele dia chegar, muitas pessoas vão me dizer: “Senhor, Senhor, pelo poder do seu nome anunciamos a mensagem de Deus e pelo seu nome expulsamos demônios e fizemos muitos milagres!” Então eu direi claramente a essas pessoas: “Eu nunca conheci vocês! Afastem-se de mim, vocês que só fazem o mal!” (Mt 7.22-23)
Os verdadeiros seguidores de Jesus devem atentar para as palavras dele, que também disse: “— Não ajuntem riquezas aqui na terra, onde as traças e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e roubam. Pelo contrário, ajuntem riquezas no céu, onde as traças e a ferrugem não podem destruí-las, e os ladrões não podem arrombar e roubá-las. Pois onde estiverem as suas riquezas, aí estará o coração de vocês. (Mt 6.19-21).
Portanto, oitenta por cento dos discursos feitos em nome de Jesus, não são cristãos. A verdadeira teologia deve apontar para a cruz, e não para a prosperidade. Deve falar do amor inigualável de Jesus, que entregou a sua vida por nós, e não encher templos prometendo e oferecendo o que Jesus não oferece. Afinal, “de que adianta ganhar o mundo inteiro e perder a alma?” (Mc 8.36).
Os holofotes não devem estar nos pastores e bispos, mas em Cristo, que não veio para ser servido, mas para servir.
Se nossas vidas fossem apresentadas na Televisão Divina, ninguém escaparia das acusações, pois todos somos pecadores. Dizer o contrário é hipocrisia.
Fazer apologia a pobreza também é perder o foco. Ricos ou pobres, estamos todos perdidos em nossos pecados.
Porém, sabemos que Jesus sofreu sobre si o castigo por nossos pecados. Os que confiam “nAquele” que seguiu o caminho da cruz, e não “naquele” dos discursos de prosperidade, esses são perdoados, e viverão na Paz, que nenhuma riqueza desse mundo pode comprar, mas que foi conquistada pelo rico e puro sangue de Jesus.
Pastor Ismar Pinz

Sobre a proibição dos crucifixos

|

No dia 06 de março o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul decidiu retirar crucifixos e demais símbolos dos espaços públicos dos prédios da Justiça estadual gaúcha.
A determinação atende pedido da Liga Brasileira de Lésbicas.

O que dizer sobre isso?
Não preciso defender com unhas e dentes a permanência dos símbolos, até porque defendo a idéia do estado laico, porém não posso deixar de lamentar o desejo intrínseco de afastar Jesus das decisões. Isso é preocupante, pois certamente a solicitação tem o objetivo de que as decisões em casos polêmicos como o aborto e o homossexualismo, não sejam influenciados pelos princípios cristãos.
Preocupa-me também que muitos dos chamados cristãos, mesmo usando crucifixos, esquecem dos ensinamentos de Jesus, sempre considerando as novas tendências e os desejos egoístas, configurando uma explícita hipocrisia.
A solicitação de retirada dos símbolos religiosos está embasada no fato de que o estado deve conferir liberdade religiosa e jamais impor religião. Concordo com isso.
Para exemplificar: Se moro em um apartamento, devo sempre ter a liberdade de usar um símbolo religioso em uma das paredes de minha moradia, como expressão de minha fé pessoal, porém não devo pendurar um símbolo na parede do corredor público do prédio, exceto se todos os moradores concordarem.
Convém dizer que esse princípio de separação da Igreja (religião) do estado, é um princípio defendido pelos cristãos protestantes, entre eles Lutero, afinal Jesus disse: “daí a César (imperador) o que é de César e a Deus o que é de Deus” (Mt 22.21). Caso contrário, na mesma parede em que está o crucifixo deveria se aceitar outros símbolos religiosos. Imaginem que confusão!
Por isso, podemos aceitar retirar crucifixos das paredes públicas – para que se mantenha a liberdade religiosa. Mas, jamais podemos aceitar que nos obriguem a tirá-lo de nossos corações, ainda que a conseqüência seja a forca, como no caso do iraniano Youcef Nadarkhani, condenado em seu país por ser cristão. Essa perseguição religiosa aos cristãos em países muçulmanos é a prova de que a liberdade religiosa é o melhor caminho.
O que não pode acontecer é querer que abandonemos princípios cristãos da importância da família, da defesa da vida, e da ordem natural, onde Deus criou o homem e a mulher, pois os princípios da criação perpassam a política e a religião.
A verdade é que, bem antes do crucifixo, devemos guardar e expor a mensagem da obra de Jesus consumada na cruz. Um amor que perpassa a análise de todas as leis e que faz com que julguemos efetivamente com justiça.
Pastor Ismar L.Pinz

 

©2009 PARÓQUIA CONCÓRDIA | Template Blue by TNB